Radiologia Odontológica DigitalTomografia Computadorizada Odontológica Cone Beam

DOSE DE SABEDORIA #18

Nas últimas publicações temos conversado sobre os benefícios do escaneamento intraoral para o paciente, no fluxo de trabalho com o laboratório e outros profissionais e no processo de diagnóstico na ortodontia; e hoje iremos descrever brevemente sua atuação na implantodontia.

            A moldagem virtual, para cirurgia, atua como um guia de planejamento. Isso se deve ao fato dessa tecnologia propiciar um planejamento protético e na confecção de splints cirúrgicos, facilitando a correta aplicação dos implantes. Em casos de planejamento e implantes múltiplos, a moldagem virtual permite análise da distância entre eles antes das suas instalações. Dessa consegue-se evitar uma imprecisão e um comprometimento do método eleito para o caso.

Para além dessa observação, quando o cirurgião-dentista escolhe como meio de trabalho as imagens 3D, o mesmo consegue obter uma visão mais precisa e privilegiada do caso a ser analisado devido às representações das estruturas anatômicas desejadas de cada paciente.

            Cirurgia digitalmente guiada possibilita: maior rapidez e precisão, pois, é um método eficiente e confiável para obter resultados estéticos e funcionais. O fluxo digital contribui muito para a diminuição de contratempos a partir do momento em que o profissional entende cada etapa, que envolve melhor comunicação com o paciente, estudo do sorriso, scanner intraoral, programas de planejamento, guias impressos, novos desenhos de implantes e kits de cirurgia.

            O posicionamento tridimensional do implante é um dos desafios enfrentados na Implantodontia. A transferência à mão livre da posição planejada para o campo cirúrgico fica condicionada à habilidade do operador, às suas condições emocionais no momento cirúrgico e, sobretudo, à tomada de decisões importantes quanto ao ponto de abordagem, profundidade da plataforma e inclinação do implante.

            Assim, a cirurgia guiada estática fundamenta-se na utilização de um guia cirúrgico rígido que reproduz a posição virtual do implante, não permitindo modificação intraoperatória da posição do mesmo. Portanto, o planejamento é feito de forma reversa, para um correto posicionamento intraósseo do implante. Para isso, dois exames são fundamentais: tomografia computadorizada odontológica e escaneamento intraoral da arcada dentária do paciente.

             O caso para ilustrar os benefícios do escaneamento para confecção de guia cirúrgico é do planejamento a partir da mensuração do rebordo alveolar remanescente na região posterior esquerda da mandíbula pela tomografia cone bean  (Imagem 1) e o escaneamento intraoral (Imagem 2) da mandíbula, em que essa imagens forma enviada para o laboratório para confecção da guia.

Imagem 1 – Mensuração do rebordo alveolar na região posterior esquerda da mandibular ao canal mandibular

Imagens 2 – Ilustram a arcada inferior moldada por escaneamento

A utilidade da tecnologia digital em reabilitações implantossuportada, desde o escaneamento intraoral para planejamento cirúrgico e posterior reabilitação protética, tem a possibilidade de apresentar tratamentos/planejamentos com o menor tempo clínico para o cirurgião-dentista, inserindo-se dentro do planejamento cirúrgico em conjunto com a tomografia cone bean.


Dose de Sabedoria por: Dra Ana Luiza Riul, Dr. Luis Fernando Jardim e Dra. Patrícia Jardim

Siga-nos nas REDES SOCIAIS