Radiologia Odontológica DigitalTomografia Computadorizada Odontológica Cone Beam

DOSE DE SABEDORIA #22

Fusão dentária

Nesta postagem iremos abordar um tema interessante: Fusão dental. é uma condição denominada de anomalia de desenvolvimento dentário, temos dentes que, em algum momento no período da sua formação (odontogênese), tentaram de fusionar. Por consequência disso, acontece a união de dois germes dentários adjacentes que encontram-se aderidos pela dentina, possuindo duas coroas e duas raízes. Um sinônimo para fusão é sinodontia.
Acredita-se que a fusão acontece quando dois germes dentários se formam tão próximos entre si que, conforme se desenvolvem, entram em contato e se fundem antes que ocorra a calcificação. Assim sendo, pode ser total ou parcial dependendo o estágio da odontogênese. Essa condição é mais comum na dentição decídua e na região anterior. Importante observar que, nessa condição as coroas dos dentes fusionados normalmente parecem ser grandes e únicas podendo também ocorrer uma coroa bífida. Observem a imagem 1.

Imagem 1 – Cortes axial e coronal indicando a fusão dentária envolvendo o dente 21
Neste caso o profissional solicitou tomografia cone beam para melhor avaliação da estrutura dentária para planejamento do tratamento, que tinha sido visualizado na radiografia periapical (Imagem 2)
 
Para redução dos artefatos utilizamos o filtro BAR (Blooming Artifact Reduction) presente no Evol DX. Este filtro oferece enorme diferencial para exames tomográficos onde há presença de elementos metálicos e materiais densos que resultam em artefatos brancos encobrindo detalhes. O artefato branco tem índice de ampliação que varia entre 9 e 100% conforme artigo cientifico, ou seja, com essa distorção, perdemos a exatidão para mensurar áreas com esse tipo de interferência. Outra consequência desses artefatos e imprecisões é a dificuldade em visualizar áreas internas de implantes. Tudo isso implica na perda de informações essenciais para um diagnóstico e tratamento eficazes. O filtro BAR vem para solucionar esses problemas e garantir precisão no diagnóstico. Além de proporcionar a visualização do tamanho real da área observada, reduzindo a ampliação a 0%, esse filtro elimina artefatos brancos tornando possível a visualização de informações de extrema relevância para o diagnóstico.

Também foi utilizado o corte fatia para reconstrução 3D da anomalia dentária (imagem 3)

Imagem 2 – Radiografias periapicais, exame inicial que visualizou a alteração.

Imagem 3– Reconstrução 3D.

Assim, os exames de imagem são essenciais no diagnóstico destas anomalias de desenvolvimento dental (forma) pois permitem observar melhor a extensão da união e a presença dos condutos radiculares e raízes e orientar o tratamento.



Dose de Sabedoria por: Dra Ana Luiza Riul, Dr. Luis Fernando Jardim e Dra. Patrícia Jardim

Siga nossas redes sociais!