Radiologia Odontológica DigitalTomografia Computadorizada Odontológica Cone Beam

DOSE DE SABEDORIA #40

EXODONTIA DOS TERCEIROS MOLARES SUPERIORES COM CONTATO COM OS SEIOS MAXILARES

    O quadro abaixo referência às possíveis posições do terceiro molar superior em relação ao dente adjacente, no caso o segundo molar, e com o seio maxilar.

                        

Como apresentado em postagens anteriores, o seio maxilar se situa no corpo do osso maxilar e é o maior dos seios paranasais, tendo a forma de uma pirâmide deitada de lado com base medial, correspondente à parede lateral da cavidade nasal; seu teto é o assoalho da órbita e o seu assoalho é o processo alveolar da maxila e o ápice dessa pirâmide se prolonga em direção ao processo zigomático da maxila. O seio maxilar possui particularidades anatômicas, sobretudo por sua íntima relação com as raízes dos pré-molares e molares superiores, oferecendo uma série de problemas cirúrgicos, ocasionando inserção de corpos estranhos no interior da cavidade sinusal no decorrer de acidentes ou mesmo de tratamentos odontológicos. 

Na imagem 1 visualizamos nos cortes MPR a relação do dente 28 em íntimo contato com o assoalho do seio maxilar, consideração relevante no planejamento das escolhas dos instrumentais e na aplicação adequada dos movimentos de luxação. 

            

 

     O principal fator para exodontia dos terceiros molares é a presença de lesão cariosa neste dente e∕ou no dente adjacente; pode-se citar também os processos de reabsorção radicular e∕ou coronária do dente adjacente. Podemos citar outros fatores, como: apinhamento dentário, alterações da articulação temporomandibular (ATM), complicações infecciosas (como a pericoronarite) e a inclusão de terceiros molares inclusos como predisponente para o desenvolvimento de cistos odontogênico.

    A imagem 3 observa-se nos cortes MPR o dente 18 impactado horizontalmente. Há uma imagem hipodensa circundando a porção coronária, compatível com lesão cística. A hipótese de diagnóstico para esta lesão é de cisto dentígero. 

 

 

    Assim, torna-se prudente a observação por parte do cirurgião de estabelecer medidas preventivas que envolvem o conhecimento anatômico da região e seu reconhecimento nos exames complementares de imagem para serem aplicados juntamente com os conhecimentos de técnicas cirúrgicas.


VEJA O POST ANTERIOR: Exodontia de Terceiros Molares Inferiores com Proximidade do Canal Mandibular.

Dose de Sabedoria por: Dra Ana Luiza Riul, Dr. Luis Fernando Jardim e Dra. Patrícia Jardim

Siga nossas REDES SOCIAIS