Radiologia Odontológica DigitalTomografia Computadorizada Odontológica Cone Beam

DOSE DE SABEDORIA #72

CIRURGIA ORTOGNÁTICA: CONCEITO  E  INDICAÇÕES

A cirurgia ortognática é uma técnica utilizada para corrigir alterações de crescimento dos maxilares, conhecidas como anomalias dentofaciais, as quais podem originar distúrbios da mordida, articulações e respiração, e também repercutir na estética facial. Trata-se, portanto, de um procedimento estético-funcional capaz de restaurar a harmonia facial e a função mastigatória.

Esta técnica é indicada para vários tipos de anomalias ósseas, desde crescimentos deficientes a exagerados, em todos os sentidos. Para que possa ser realizada, após o diagnóstico da condição do paciente, várias avaliações são feitas para planejar a melhor forma de tratamento. Na criança, normalmente tenta-se corrigir o problema com o uso de aparelhos ortodônticos e ortopédicos que atuem também no crescimento ósseo. Porém, quando o portador da anomalia for adulto, o tratamento ortodôntico isolado não será suficiente para a correção, porque o processo de crescimento da face já terá se encerrado. Nesses casos, a cirurgia ortognática será necessária para a correção completa do problema.

Quais são os tipos principais de Deformidades Faciais?

 

As deformidades dento-faciais apresentam-se em dois tipos de classes principais, descritas na literatura científica, são elas:

 

 

MICROGNATISMO OU RETROGNATISMO

 

A mandíbula (parte inferior) é menor que a maxila (parte superior). Neste caso, tanto pode ter havido um pequeno crescimento horizontal da mandíbula (sentido ântero-posterior), quanto um grande crescimento da maxila no mesmo sentido.

Ambas as situações geram uma deformidade classificada como Classe II de Angle.

 

As deformidades dento-faciais apresentam-se em dois tipos de classes principais, descritas na literatura científica, são elas:

 
 

MACROGNATISMO OU PROGNATISMO

A mandíbula (parte inferior) é maior que a maxila (parte superior). Neste caso, tanto pode ter havido um grande crescimento horizontal da mandíbula (sentido ântero-posterior), quanto um pequeno crescimento da maxila no mesmo sentido.

Ambas as situações geram uma deformidade classificada como Classe III de Angle.

Em que pacientes é indicada a cirurgia ortognática? 

A cirurgia ortognática está indicada naqueles pacientes que apresentam alterações nas proporções do esqueleto facial. Sempre que ocorrer muito crescimento ou pouco crescimento dos ossos maxilares, a harmonia desejada entre o maxilar superior e maxilar inferior não será a ideal, sendo, portanto, indicada a cirurgia ortognática. É fácil entender o motivo: os ossos maxilares são aqueles que alojam os dentes tanto superiores quanto inferiores. Caso o crescimento do osso maxilar seja intenso ou então que ele não desenvolva o suficiente, será inevitável a ocorrência de falta de encaixe entre os dentes superiores e inferiores. Dessa forma, o paciente não irá possuir uma mastigação adequada (alteração funcional) e também ocorrerá uma desarmonia na aparência da face (alteração estética).

IMAGEM1: Tomografia Computadorizada Pré Operatório – Reconstrução 3D Evol DX

Quais as complicações desta deformidade? 

Deficiência na Mastigação;

– Problemas no Sistema Digestivo;

– Dores Musculares;

– Dores de Cabeça;

– Perda dos Dentes;

Defeito Estético.

 

Tomografia Computadorizada Pós Operatório – Reconstrução 3D Evol DX

 

O que é o Planejamento Virtual?

            É uma ferramenta que nos permite unir os dados clínicos dos pacientes, com seus exames de imagem volumétricos (tomografia computadorizada). Teremos, então, uma reprodução exata do paciente, em ambiente virtual e tridimensional, que nos permitirá simular todos os passos de sua cirurgia, integrando objetivos clínicos, funcionais, e diversas possibilidades cirúrgicas. Dessa maneira, aumentamos a previsibilidade do procedimento, vislumbramos o resultado final e nos preparamos para eventuais adversidades técnicas.